fbpx

Gravel bike: conheça a bicicleta para trilha e asfalto

Se você é um amante do pedal tanto quanto nós, com certeza já deve ter ouvido falar na gravel bike, não é? A bicicleta para trilha e asfalto, também conhecida como híbrida, é um pouco inusitada por trazer características diferentes das que estamos acostumados a ver, por isso chama a atenção de quem já está no mundo do ciclismo ou não.

Já viu uma bike speed com rodas grandes como as de MTB? Ou uma MTB com o guidão drop, típico das bicicletas de estrada? Dá para imaginar essa mistura? Pois é, se você ainda não conhece, essas são as bicicletas gravel – um híbrido das MTB e speed, se podemos assim dizer.

Com essa definição básica já dá para se ter uma ideia do que é esse modelo do equipamento ciclista, mas que tal entendermos mais de perto as especificações e se vale a pena ou não investir em uma magrela dessas para pedalar nas trilhas e asfaltos com a mesma bicicleta?

Está curioso para desvendar o mundo das bikes gravel? Então, continue lendo esse conteúdo completo que a Bike Runners preparou para você e entenda, de uma vez por todas, esse tipo de bicicleta! Vamos lá?!

Bike para trilha e asfalto: modelo e funcionalidades da gravel

As gravel bikes são bicicletas pensadas para percursos de cascalho e/ou terra – assim como o próprio termo “gravel” sugere (significa cascalho em Inglês) –, como as MTB, bem como para o asfalto, como as speeds.

O visual delas lembra muito essa última, mas a maioria dos outros aspectos têm mais cara de MTB, pois é nítido o quanto a sua estrutura é mais reforçada e mais robusta. Ou seja, realmente é uma bike pronta para o trabalho e que não te deixa na mão.

Bicicleta gravel na cor verde encostada em parede de madeira

Para entender melhor essas especificidades dela, vamos falar sobre como é montada a gravel bike e o que faz com que ela seja diferente dos outros dois tipos que mencionamos:

Pneus mais largos e com alto desempenho

Geralmente, esse tipo de bicicleta usa pneus de 35, 38 ou 40 mm, diferente das speeds, que usam aqueles mais finos, para aguentar os impactos do cascalho e do atrito dos diferentes terrenos. Há, ainda, equipamentos com pneus próprios das mountain bikes, como o de 2.2” ou maiores, isso vai depender diretamente do uso que o ciclista dá a ela.

Quadro excepcional para otimizar a performance

Os quadros das bikes speed são pensados para ter uma performance melhor e garantir mais velocidade – o que não acontece nas gravel bikes. O espaço para os pneus, tanto no quadro quanto no garfo, é maior do que nas outras, e ainda há furos no quadro para prender acessórios.

Marchas mais leves e fluídas

As bikes para trilha e asfalto dão certo enfoque ao conforto, assim, têm mais leveza na relação de marchas para que se adaptem bem a cada tipo de necessidade. É bem comum ver modelos com coroa de 40 ou 42 dentes e uma relação de 46×36.

Tipo de freio

É muito comum haver freio a disco nas bikes híbridas, mas, e nas bicicletas de estrada, alguma vez você já encontrou esse sistema? Provavelmente não, pois o uso não é tão comum – apesar de não ser impossível. Esse freio é aquele que é causado pelo acionamento do cabo, que empurra o pistão e a pastilha contra o disco, reduzindo a velocidade pelo atrito.

Guidão ideal para pilotar

Os guidões drop bars dão um diferencial a mais nas bikes gravel, em comparação com as MTB. Esse modelo garante maior estabilidade em percursos técnicos, íngremes ou trilhas. Eles são mais curtos e possuem curvatura, oferecendo mais possibilidades de apoio para mãos e pulsos.

Imagem com foco em guidão de bicicleta gravel

Você já conhece os tipos de guidão e qual o melhor para cada modelo de bike? Não? Então leia mais sobre o assunto aqui no blog da Bike Runners!

Com todos esses diferenciais, as bicicletas gravel apresentam boas performances tanto no asfalto quanto nas trilhas – mas não igual às bikes específicas para cada modalidade. Elas remetem muito às cyclocross, apesar de terem suas diferenças, como podemos ver.

Vantagens de ter uma gravel: vale a pena uma bike para trilha e asfalto?

Bem, cada tipo e modelo de bicicleta é pensado para finalidades diferentes, por isso, para ter certeza de que a gravel é a ideal para você, é essencial saber as vantagens do equipamento.

A primeira delas é em relação ao peso, pois essas bicicletas são leves para que não diminuam o desempenho do ciclista, adequando-se a qualquer terreno. Além disso, sua relação de marchas, de uma forma geral, pode ser usada tanto na cidade como nas trilhas e na estrada – versatilidade, ok!

Oferece um alto desempenho, muito conforto e diversão, tudo junto, como resultado dessa mescla entre aspectos das speeds e das MTB. Além disso, os furos comuns nos quadros permitem a acoplagem de vários bagageiros e alforjes, tornando-se ótimas opções para cicloturismo.

Bicicleta gravel em local com gramas e bolsas acopladas em espaços da bicicleta

Se você gosta bastante de juntar seu grupo e fazer uma cicloviagem por trilhas ou estradas, essa bicicleta vai ser uma mão na roda!

O que chama mais atenção de quem escolhe a bike gravel como seu equipamento é, de fato, a variedade de terrenos nos quais ela pode te acompanhar. Como esse equipamento permite que o ciclista pedale no asfalto, na terra, em trilhas ou na cidade, ele se torna a melhor pedida para quem gosta de novos ares.

Mas, a seguir, fizemos uma análise de qual seria o seu desempenho aproximado nesses solos diferentes:

No asfalto

Por seus drops serem bem aerodinâmicos, nos trechos de pouca subida ou descida, ela tem um bom desempenho, mesmo que os pneus sejam mais largos. Isso é uma vantagem para quem prefere estar mais confortável, que gosta de curtir o pedal sem ter uma performance tão grande assim, que a speed proporciona.

Subidas e descidas

Os modelos com 40 dentes são excelentes para subir, mesmo em locais mais íngremes ou técnicos, que exigem maior maestria ao pilotar. Mas isso depende muito do condicionamento físico do ciclista, alguns podem ficar bem e outros não ficarem satisfeitos com o desempenho da bike e o próprio.

Agora, quando se trata das descidas, ela não é tão confortável, visto que o ciclista pode ficar em uma postura mais desconfortável, principalmente se não tiver o guidão flared drop ou o bars.

Estrada de terra

Ela é muito boa na estrada de terra, principalmente quando se trata de percursos mais planos, fazendo com que o ciclista consiga alcançar uma velocidade relativamente alta. Ela também é bem confortável, mas não ganha da MTB, que é própria e adaptada para esse tipo de terreno.

Imagem de estrada de terra batida no meio de local com grama alta e alguma árvores

Cicloviagens

Como já dito anteriormente, ela possui diversos furos que auxiliam na hora de colocar bolsas e outros acessórios para ajudar na viagem. Mesmo em locais mais difíceis de serem percorridos, ela continua confortável e tem um bom desempenho.

No fim, não quer dizer que esse modelo substitui de vez as bikes MTB e speed. Esses modelos ainda são os mais recomendados para treinos de suas respectivas modalidades, oferecendo mais precisão e melhor desempenho.

Mas se você pedala igualmente tanto em um quanto em outro, deseja ter um gasto menor com manutenção e gosta de fazer cicloturismo, a opção é excelente e deve ser considerada.

Ciclista andando em bicicleta gravel em estrada de terra

Viu só como essa bike é interessante para usar em trilha e asfalto?! E aí, vai apostar em uma gravel ou ainda não é a melhor escolha para os seus objetivos? Conte para nós aqui nos comentários, queremos saber as suas experiências e opiniões!

Para ficar por dentro de mais assuntos sobre o mundo do pedal, é só acompanhar nosso blog, com postagens semanais, e ficar de olho nas redes sociais da Bike Runners! Bom pedal para todos, até a próxima!

Visite a loja da bikerunners! Temos tudo que você precisa para ser um ciclista. Comece a pedalar!
Anterior

Aplicativo Strava: saiba como usar e como funciona a nova atualização!

Treinamento funcional para ciclistas: 4 exercícios de fortalecimento

Próximo