fbpx

Downhill: tudo o que você precisa saber sobre o esporte!

O pedal tem muitas modalidades e uma delas é o downhill, que surgiu como uma perspectiva do MTB. Quem ama velocidade, natureza e uma boa aventura aliados a um pedal saudável e cheio de adrenalina, com certeza, deve conhecer e praticar a vertente.

Tom Ritchey e amigos andando de bicicleta nos primórdios do MTB

Em suma, o downhill é um esporte cronometrado no qual o atleta desce ladeiras cheias de obstáculos realizando manobras para vencer o percurso. Geralmente, ele pode ser realizado em ladeiras da natureza ou no meio urbano, desde que o caminho corrobore com sua estrutura.

Já deu para ver que é uma modalidade que exige bastante técnica, uma pessoa experiente e – claro – a bike adequada, não é? Mas, hoje, a Bike Runners vai explicar tudo detalhadamente. Vamos lá?!

Como funciona o downhill? Entenda mais sobre o esporte!

Como já dito, essa modalidade é bem radical, na qual o objetivo é vencer todo o percurso em menor tempo e realizar as mais variadas manobras para passar pelos obstáculos sem diminuir o desempenho.

Por isso, é preciso muito treino, atenção e técnica, já que é necessário saber qual é o melhor terreno para passar, sempre tomando cuidado com as barreiras do espaço. Afinal, nem sempre ele é praticado no mesmo lugar, então o atleta precisa ter um certo “jogo de cintura” para compreender exatamente por onde está passando e onde deve passar.

Mas ele não fica preso somente à natureza, pode ser realizado em espaços urbanos com grandes escadarias ou ladeiras bem inclinadas. Um lugar bem famoso para a competição na cidade que pode ser citada é em Santos, que foi palco do Campeonato Mundial de Downhill Urbano. Mas vamos destrinchar bem o assunto para que tudo possa ficar bem claro!

Ciclista praticando downhill em local urbano alto e com escadaria

© KEVIN MOLANO/RED BULL CONTENT POOL

A história da modalidade

Se você já assistiu a vários filmes norte-americanos, com certeza, deve saber que a Califórnia é um estado dos EUA cheio de relevo, não é? O que contribui muito para as práticas radicais, e com essa modalidade do ciclismo não foi diferente.

Em 1970, os pioneiros Charlie Kelly, Gary Fischer, Joe Breeze e Tom Ritchey, decidiram se aventurar com suas bikes em outro lugar, diferente do asfalto. Então, viajaram para o condado de Marin County para testar suas bikes nas montanhas de lá.

Ciclista todo equipado praticando downhill em local montanhoso

© RED BULL CONTENT POOL

Vendo que as bicicletas que usavam não eram as mais ideais, visto o tamanho e a intensidade dos impactos, surgiu a necessidade de criar uma ideal para a prática, assemelhando-se aos modelos de mountain bike.

Assim, com a popularização da prática, as competições começaram a ganhar atenção do público, como com o Campeonato Mundial realizado no estado do Colorado no ano de 1990.

E sobre as pistas: No começo, tudo era terra… Na prática, ganhava quem fazia o melhor tempo e velocidade, sem precisar transpor muitos obstáculos. Então, como tudo evolui, a modalidade foi ficando cada vez mais técnica, aumentando o seu nível de dificuldade para que o ciclista superasse escadarias, pedras, trilhas mais estreitas e outras coisas fazendo um bom tempo.

O que os atletas fazem para se preparar para a prova?

Para se preparar para os dias de competições, primeiro eles treinam bastante, preparando-se fisicamente e testando as bikes antes de tudo. Também podem ter atletas que possuem outros sistemas, trabalhando o mental, o bem-estar, entre outras coisas.

Isso é realizado para que estejam o mais focados possíveis e que possam realizar tudo com alto desempenho e mandar bem no grande dia.

Ah, mas como os ciclistas sabem por onde passarão?, bem, antes que a prova seja realizada, todos os competidores conhecem o percurso a pé, podendo tirar fotos ou fazer vídeos, assim podem avaliar melhor o terreno e o que farão para transpor os obstáculos.

O que não quer dizer que eles não podem treinar, para isso existe o treino livre, o qual permite que todos os atletas façam o percurso quantas vezes desejar. Só o cronometrado é que conta, decidindo a ordem de largada da competição. Além disso, eles podem repetir todo o caminho antes da prova da competição.

O tempo para decidir a largada é cronometrado com um pequeno chip que fica preso à bike. Mas, diferente de uma Fórmula 1, onde quem tem o tempo melhor larga primeiro, aqui é o inverso. No campeonato, os avaliadores têm todos os dados para, no fim, julgar quem foi o melhor competidor.

© REDBULL RAMPAGE

O que é uma bicicleta de downhill?

Não adianta muito falarmos sobre tudo que é necessário e não citarmos as bikes, não é? As da modalidade são fabricadas especialmente para proporcionar um bom desempenho durante o pedal, ou seja, ela é tão técnica quanto a própria prática.

Diferentemente das mountain bikes, a bike downhill possui um centro de gravidade mais baixo, ideal para que o atleta tenha um bom equilíbrio e controle da bike durante as curvas.

Bicicleta de downhill em local deserto e montanhoso

© BARTEK WOLINSKI

Assim, ela também deve ser bem leve, contribuindo para que a velocidade que ela alcança seja satisfatória e que não fatigue o atleta com esforços de força desnecessários. Por isso, geralmente, as profissionais são encontradas em carbono.

E para melhor aderência nos terrenos, há cravos nos pneus, que são mais largos, para que ela tenha um bom contato com o solo, evitando deslizes frequentes, principalmente em trechos mais lisos.

Quais equipamentos são necessários para a prática?

Um esporte radical assim pede equipamentos de segurança, ainda mais porque os percursos possuem mais obstáculos e a velocidade sempre é alta. Por isso, capacete sempre! Eles devem ser full face, como os modelos fechados para motocicletas, protegendo toda a região da cabeça do atleta.

E para a proteção dos olhos, o óculos usado também é bem específico, como os de motocross, oferecendo conforto tanto para enxergar o caminho quanto para impedir que pedriscos, poeira e outros itens incomodem a visão.

Cotoveleiras, joelheiras e luvas também são importantes, as duas primeiras protegendo articulações importantes, e a última impedindo que as mãos fiquem machucadas por causa da manopla do guidão.

Ciclista em local arborizado segurando sua bicicleta e utilizando os equipamentos para a prática de downhill

© FOX RACING

Pensou que era só isso? Não! Um bom ciclista sabe que as roupas são extremamente importantes para um bom desempenho. Geralmente, para essa prática, são utilizadas peças com forros específicos para proteger o corpo do atleta contra a incidência do ambiente, mas também há alguns que preferem ir com suas próprias roupas para manter o estilo.

Como começar a praticar o downhill?

Para praticar a modalidade, primeiro de tudo, é preciso ser uma pessoa ativa e ter um bom condicionamento físico, já que é um esporte bem intenso. Treinando resistência, há chances de não sofrer tanto quando for começar.

Além disso, é essencial ter habilidades técnicas. Isso, basicamente, é treinar as descidas, superando obstáculos para que o corpo se acostume e possa adquirir mais experiência para realizar descidas nas mais variadas pistas.

E os saltos não podem ser deixados de fora, mesmo que inicie treinando em locais planos para depois ir para os estradões. Esses saltos serão necessários para transpor pedras, galhos e outras coisas que venham a existir no caminho.

Ainda, trabalhar o psicológico é importante. Você não conseguirá praticar se sentir muito medo ou ansiedade.

© REDBULL MONSERRATE CERRO ABAJO

O que achou da modalidade? Ela é bem radical e é para os corações fortes e aventureiros! Esperamos ter sanado todas as dúvidas. E para conhecer mais modalidades do ciclismo, não deixe de acompanhar o blog, bom pedal para você!

Visite a loja da bikerunners! Temos tudo que você precisa para ser um ciclista. Comece a pedalar!
Anterior

Treinamento funcional para ciclistas: 4 exercícios de fortalecimento

Aprenda de uma vez por todas a passar as marchas da bicicleta

Próximo