fbpx

Saiba escolher o melhor rolo de treino para bicicleta

Dia de chuva? Falta de segurança? Sem lugar para treinar? O rolo de treino é uma ótima alternativa para não deixar de pedalar mesmo naqueles dias em que simplesmente não dá para sair de casa.

A gente sabe: nada substitui uma pedalada ao ar livre, sentindo o terreno sob as rodas e o vento no rosto. O treinamento indoor, porém, tem ficado cada vez mais difundido entre os ciclistas que desejam manter suas habilidades atualizadas nos dias difíceis, sem perder nenhum treino.

Na hora de escolher o seu rolo de treinamento ideal, porém, pode ser que apareçam algumas dúvidas. Existem tipos diferentes de rolo? Quais são as características de cada um? Como avaliar a relação custo-benefício?

No post de hoje, apresentamos todas essas informações para que você realize uma boa pesquisa de mercado. Preparado? Bora!

Tipos de rolos para treinamento

rolo de treino simulação de pedalada

Lembre-se: treinos indoor são simulações; nunca serão exatamente como a pedalada real. No rolo, a pedalada pode ser monótona, mais intensa e consideravelmente mais quente. Hidrate-se bem e encontre meios para tornar seu treino mais interessante!

Treinando em casa, porém, é possível otimizar fatores que seriam impossíveis na rua, como simular pedaladas muito específicas para compensar seus pontos fracos ou treinar somente arrancadas, por exemplo.

Para cada ciclista e treino diferentes, há um tipo de rolo. A seguir, conheça os principais e avalie qual se encaixa melhor a sua experiência:

Rolo de equilíbrio

Os mais baratos do mercado. Também são conhecidos como “rolos soltos”, em que a bike fica totalmente livre, sobreposta ao rolo. Exigem que o atleta se equilibre sobre o equipamento, o que pode representar certa dificuldade.

Para pedalar nesse dispositivo é necessário certo período de adaptação e aprendizagem. A dica para subir e descer do rolo é apoiar-se em paredes, permanecendo seguro até que o equilíbrio seja atingido.

Nesse tipo, não é possível regular a intensidade de pedalada: o treino deve começar em intensidade total, para que a bike se equilibre sobre o rolo. Esse pode ser um fator negativo, mas é interessante para atletas que competem em provas contra-relógio, em que as arrancadas são muito importantes.

São ótimos treinadores de velocidade, e os únicos que trabalham músculos do core e membros superiores, ativados na regulação do equilíbrio. Em contrapartida, não permitem simular pedaladas pesadas, permanecendo em intensidade leve ou média.

Magnéticos

Os rolos magnéticos são os modelos fixos mais simples do mercado. De maneira geral são mais caros do que os rolos soltos, de equilíbrio. Neles, a bicicleta fica presa pela roda traseira, e a resistência é realizada por um cilindro que toca o pneu.

Oferecem muito mais segurança e estabilidade: é possível andar sem segurar o guidão, pois não exigem equilíbrio . Nesses equipamentos, você pode ajustar a intensidade de pedalada por um botão giratório, que intensifica a resistência de maneira gradual.

É o modelo fixo mais barato, mas também é o mais barulhento e o menos realista em relação à pedalada real.

Fluidos

Modelos fluidos são mais caros que os magnéticos. Sua vantagem em relação aos demais é a maneira com que reproduz o efeito da pedalada: a resistência aumenta na medida em que o ciclista aumenta a velocidade. Por essa razão, são muito mais realistas. São, ainda, mais silenciosos que os magnéticos, e permitem simular pedais mais pesados.

Direct mount

Os rolos direct mount são os mais caros, mais realistas e mais silenciosos disponíveis. Neles, a roda traseira é retirada e a bicicleta é conectada diretamente ao rolo. Eles possuem grande variedade e realismo nas gradações de intensidade. Esses modelos frequentemente oferecem a funcionalidade smart trainer, da qual trataremos adiante.

Como escolher?

suporte de guidão para tablet ideal para uso em rolo de treino

Na hora de decidir se precisa ou não de um rolo de treino – ou, se já decidiu, no momento de escolher o rolo de treino que levará para casa – algumas considerações devem ser feitas:

  • Avalie a frequência com que está disposto a recorrer aos treinos indoor: você vive em um local muito perigoso, não tem parceiros de treino, vive em um local chuvoso ou tem pouquíssimo tempo para sair de casa? Aposte em um bom rolo de treino! 
  • Saiba o tipo de treino que deseja realizar: treinos intervalados precisam de melhor precisão, então opte pelos rolos fluidos ou direct mount. Quer um rolo para aquecer ou treinar arrancadas? Escolha o rolo de equilíbrio. Não quer se desafiar no rolo solto e não se importa com o barulho? Escolha o magnético!
  • Fique atento ao sistema de fixação da roda no rolo e fixação do rolo ao solo: segurança em primeiro lugar!
  • Saiba quanto está disposto a gastar: um rolo de treino sofisticado pode ser um grande investimento. Utilize bem os seus recursos e não deixe de treinar!

Treino no rolo mais interessante: Smart Trainers

rolo de treino aparelho de simulação

Pedalar no rolo pode ser bastante monótono. Para deixar a atividade bem mais interessante e engajar o atleta, existem os smart trainers: rolos inteligentes que se conectam a aplicativos de pedalada.

Com esses dispositivos, é possível simular pedaladas reais com alterações de intensidade, competir com outros atletas, monitorar seus indicativos e compartilhar os resultados.

São diversas as plataformas de treinamento: aplicativos como o Zwift permitem que o ciclista simule percursos famosos ao redor do mundo sem sair de casa. Outros fornecem planos de treino específicos, com monitoramento muito preciso.

rolo de trino tranz vermelho

Confira nosso vídeo:

E aí, já está pronto para escolher seu rolo de treino ideal? Conte pra gente! Ficaremos muito felizes em responder seus comentários!

Visite a loja da bikerunners! Temos tudo que você precisa para ser um ciclista. Comece a pedalar!
Anterior

Qual o melhor velocímetro para bike? Confira as dicas!

O melhor capacete para bike: saiba escolher o seu

Próximo